Falar imagens

blog_post falar imagens.jpg

Aqui no blog vou escrever sobre minha pesquisa de mestrado em design que começa este ano na FAU USP. Meu projeto tem como titulo: "Falar imagens: narrativas verbais no livro-imagem". Para quem não conhece ainda, o livro-imagem que estamos a falar aqui, está inserido dentro do universo dos livros álbum, os picturebooks, e tem como característica primordial uma narrativa que acontece única e exclusivamente através de imagens. O único texto, que funciona como uma "âncora" para leitura, (vou explicar no outro post essa definição de ancoragem) é o título do livro.

Especificamente o objeto da minha investigação são as narrativas verbais dos leitores. Como eles percebem, inferem e articulam suas respostas à história que é contada pelo autor do livro. Apesar de vivermos num mundo rodeado de imagens, as quais somos capazes de captar com um golpe do olhar, pouco falamos e pensamos sobre essa linguagem que tem formas próprias de se comunicar.

A curiosidade vem de tempos atrás. Durante um período, frequentei um grupo de estudos sobre arte contemporânea e eventualmente íamos junto com o professor em alguma exposição. Muitas vezes ele nos colocava frente a uma obra e nos instigava a falar sobre ela com algumas perguntas pontuais. Quando esta tinha como título "untitled", a tarefa ficava ainda mais desafiadora e muitas vezes intimidadora. Anos depois ao me deparar com o livro-imagem, encontrei-me novamente diante dessa experiência, a de estar frente a um objeto sem nenhuma orientação textual e decidi estudar mais a fundo esses livros.

Aos poucos vou escrevendo mais por aqui e para quem se interessar, abaixo vou colocar uma das minhas inspirações. Um vídeo de Luiz Peréz-Oramas, curador da 30º Bienal de São Paulo. No vídeo ele conta sobre o mito de Eco e Narciso, uma bela história sobre a relação palavra e imagem.